Bebianno assumirá a Secretaria-Geral da Presidência no governo Bolsonaro – Política

Presidente do PSL diz que denúncia sobre mensagens é justificativa do PT para perder a eleição - Política

Um dos principais articuladores da campanha do presidente eleito Jair Bolsonaro e ex-presidente do PSL, Gustavo Bebianno comandará a Secretaria-Geral da Presidência da República no próximo governo. Ele vai substituir Ronaldo Fonseca, nomeado por Michel Temer e no cargo desde maio. A informação foi anunciada pelo futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

Como secretário-geral, Bebianno atuará no Palácio do Planalto e, assim, se mantém muito próximo a Bolsonaro. Ele chegou a ser cotado para o Ministério da Justiça e Segurança Pública, que acabou ficando nas mãos do juiz Sérgio Moro. “É uma honra receber mais essa responsabilidade. Nosso interesse é contribuir para que o pagador de impostos seja bem atendido”, afirmou Bebianno nesta quarta, 21.

É o primeiro indicado filiado ao partido de Bolsonaro, o PSL. Na terça, o presidente eleito anunciou o terceiro nome do DEM para o seu governo (Luiz Henrique Mandetta, para a Saúde), depois de já ter indicado Tereza Cristina para a Agricultura e Onyx para a Casa Civil. 

Além deles e de Moro, já foram anunciados os ministros: da Economia (Paulo Guedes), Defesa (General Fernando Azevedo e Silva), Relações Exteriores (Ernesto Araújo), Ciência e Tecnologia (Marcos Pontes), Gabinete de Segurança Institucional (General Augusto Heleno), da Controladoria-Geral da União (Wagner Rosário) e da Advocacia-Geral da União (André Luiz de Almeida Mendonça).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *