Depois de hiato das redes sociais, Bella Hadid posa superbronzeada e amigo pede: “protetor solar, Bella” – SPNEWS

Bella Hadid (Foto: Reprodução/Instagram)

Depois de algumas semanas “desaparecida” das redes sociais, Bella Hadid fez um retorno memorável. De biquíni, a modelo americana fez selfie em que deixa o decote em evidência e mostra o bronzeado. “Ei pessoal, estava com saudades de vocês”, escreveu na legenda do post feito na manhã desta segunda-feira (6/08). 

E enquanto vários usuários choveram elogios sobre Bella, outros ficaram preocupados com a saúde da top. O jornalista Derek Blasberg, amigo da família Hadid, comentou: “FPS, Bella, FPS”, pedindo que ela portegesse a pele com protetor solar. 

Outros intimiram o namorado de Bella, o cantor The Weeknd, para “amarrar a fita”. “É melhor você colocar um anel logo, Abel”, comentou uma seguidora chamando o músico canadense pelo seu nome real. Teve até um que brincou: “Está mais laranja que o Trump”. 

“Plena”: Carolina Dieckmann posa em piscina infinita em Israel e ganha elogios – SPNEWS

Carolina Dieckmann (Foto: Reprodução/Instagram)

A cara da plenitude. De férias em Israel, Carolina Dieckmann posou linda para foto postada no Instagram na manhã desta segunda-feira (06/08). Curtindo o sol e se refrescando em piscina no meio do deserto de Ngev, a atriz mostrou mais um dia da viagem. 

Lucas Lucco volta ao Instagram e é criticado por fãs e artistas – SPNEWS

Lucas Lucco (Foto: Reprodução/Instagram)

Após dizer que todas as publicações em seu Instagram sumiram e preocupar os fãs, Lucas Lucco voltou a rede social e foi criticado pelos seus seguidores e outros artistas. Ao que parece o seu sumiço não passou de uma jogada de marketing.

Na ocasião, Lucas Lucco chegou a dizer em entrevista ao jornalista Leo Dias que estava averiguando o que aconteceu. “Eu fiquei confuso porque, geralmente, quando é hackeado, eu percebo que os seguidores diminuem e alguns zeram. Então estou pra ver isso. Tá todo mundo atrás, o exército digital que trabalha comigo também junto com o pessoa do Instagram pra saber o que aconteceu direitinho”, disse o cantor.

No domingo (5), Lucas Lucco postou três vídeos em seu Instagram, que não trazem informações do que ele está planejando. Seus fãs acreditam ser sobre a gravação de um DVD, mas não ficaram contentes com o mistério do cantor.

Instagram de Lucas Lucco sem nenhuma foto (Foto: Reprodução/Instagram)

“Achei ridículo isso! Deu até depoimento se lamentando [sobre perda das fotos]”, escreveu um seguidor. “Ai que preocupação e curiosidade por esses dias que você havia se afastado do Insta”, escreveu outra fã. Apesar de muitas críticas, alguns seguidores comentaram que estão ansiosos pelo lançamento.

Além dos fãs, o sumiço do cantor também desagradou artistas. No dia 31 de julho, o single “Viagem”, do DJ e rapper Gustavo Treze, com participação de Clara Lima e Lucas Lucco, foi lançado sem nenhum comentário do sertanejo nas redes sociais.

O rapper e empresário, DonCesão, que é amigo de Gustavo Treze comentou em seu Instagram a atitude do cantor: “Na próxima vez que me chamarem pra participar de alguma música eu vou fazer que nem o Lucas Lucco, apagar as fotos do Instagram e não divulgar pra ninguém”.

Preta Gil muda o visual para comemorar seu aniversário – SPNEWS

A segunda-feira começou com visual renovado para Preta Gil, que comemora seu aniversário na próxima quarta-feira, 8. Em entrevista à SPNEWS, a cantora contou porque decidiu mudar.

“Cabelo é para mudar mesmo, para dar uma liberdade da gente ser o que quisermos. Ja é a terceira vez que mudo este ano. Fiquei com a cor mais escuro para o inverno. E sou leonina, uma boa leonina gosta de cuidar da sua juba”, brinca Preta.

Preta Gil  (Foto: divulgação)

A cantora escolheu o amigo de longa data Fil Freitas, do salão Fil Hair & Experience, no Rio, para mudar sutilmente o tom dos cabelos, que ganharam diferentes nuances de castanho. “Apostei em uma nova técnica, chamada contraste, que garante que a tinta será esfumada sem deixar os fios marcados”, conta o cabeleireiro.

Preta tem uma autoestima inspiradora e deu a dica do que fazer para uma mulher se sentir bem. “A gente que se conectar com nós mesmas, com nossos valores, entender que a idade chega para todos e o importante é termos saúde mental, física e se cuidar sem neurose, olhando para si própria e não para os outros”, diz a cantora.

Preta Gil e Fil Freitas (Foto: divulgação)

Karina Bacchi brinca com o filho e posta vídeo fofo – SPNEWS

Karina Bacchi e Enrico (Foto: Reprodução/Instagram)

Karina Bacchi é mamãe coruja e adora postar fotos e vídeos fofos do seu filho, Enrico Bacchi. Na conta do Instagram do bebê, que está prestas a completar 1 ano, ela postou um stories em que aparece brincando com ele.

“Cade o Enrico? Achou!” era a brincadeira que tirou risos do filho de Karina. O perfil do bebê é seguido por 1,4 milhões de pessoas que enchem de elogios cada clique postado pela mãe.

“Anjo lindo , não tem como não se apaixonar”, escreveu uma seguidora. “Raio de sol esse bebê pegou a beleza do mundo inteiro só pra ele”, escreveu outra fã.

Enrico Bacchi, filho de Karina Bacchi, está perto de completar 1 ano (Foto: Reprodução / Instagram)

Aborto no STF: mulheres viajaram pelo Brasil todo para apoiar a descriminalização – SPNEWS

Vanessa Leite, Nara Siqueira, Áurea Augusta e Jeanne da Silva viajaram o Brasil inteiro para acompanhar a audiência pública do STF (Foto: Helena Bertho)

Desde a última sexta-feira (3), médicos, pesquisadores, membros de organizações de direitos humanos e religiosas apresentam dados e argumentos a favor e contra a descriminalização do aborto dentro do Supremo Tribunal Federal. Já do lado de fora, no Museu Nacional, mulheres de todo o Brasil se reuniram para assistir a audiência pública em um telão em apoio à descriminalização.

SPNEWS conversou com algumas delas para saber o que as motivou a cruzar milhares de quilômetros pelo país e participar desse momento.

“Vivi um aborto. É violento, solitário e seu corpo se torna clandestino”

A psicóloga Vanessa Leite, 49, veio do Rio de Janeiro para acompanhar a audiência e participar das mobilizações porque acredita que seja o marco de um momento histórico. “Vivemos um momento de muito retrocesso político e a discussão sobre o aborto é chave. E acontecer no Supremo a possibilidade de descriminalização é histórico. A reunião de mulheres do país inteiro é fundamental.”

Ela conta que já sofreu na pele as dificuldades de um aborto ilegal “Eu vivi a experiência de um aborto e a clandestinidade dificulta muito mais a vivência desse processo. É violento, solitário e seu corpo se torna clandestino.”

“Sou evangélica, filha de pastor e foi a informação que mudou minha visão sobre aborto”

Moradora de Dourados, no Mato Grosso do Sul, a assistente social Nara Siqueira, 29, nem sempre foi a favor da descriminalização do aborto. Foi estudando e entrando em contato com a realidade das mulheres que abortam que mudou de ideia. “Trabalho em um hospital e já acompanhei diversas famílias que perderam mulheres. Moro perto da fronteira com o Paraguai, onde elas têm acesso a uma medicação não regulamentada que acaba colocando ainda mais em risco a vida dessas mulheres”, diz.

FIlha de pastor e evangélica, ela acredita que a audiência no STF tem o poder de levar informação para outras pessoas e mudar a forma como enxergam o tema, assim como ela. “A informação vai salvar e garantir a vidas das mulheres. Religião é uma coisa individual.”

“Já acompanhei muitas amigas e vi o sofrimento de perto”

Foram quase três dias de viagem de João Pessoa, para que a professora Áurea Augusta, 37 e suas companheiras da Paraíba chegassem a Brasília. Para ela, essa viagem era essencial para fazer parte da movimentação pela descriminalização do aborto. “É uma pauta bastante cara para nós, mulheres. Tem muitas companheiras morrendo por conta do aborto ilegal e por isso achamos importante estar aqui.”

Ela mesma nunca abortou, mas já acompanhou diversas amigas. “Já acompanhei amigas no aborto e vi o sofrimento de perto. Já perdi amigas que fizeram aborto. Então a gente tem que estar perto. Independente de aprovar ou não, tem que apoiar.”

“Temos que pegar essa onda da Argentina”

Acompanhando os avanços recentes da Argentina com a forte mobilização das mulheres do país pela legalização do aborto, a professora Jeanne da Silva, 36, veio de Natal, no Rio Grande do Norte, para Brasília. “Temos que pegar essa onda que aconteceu na Argentina para andar com as leis aqui no Brasil. E é importante que essa discussão não fique só entre feministas, mas chegue a outras pessoas e outras instâncias.”

Jeanne contou que já acompanhou diversas amigas que abortaram. “Elas ficaram traumatizadas de uma forma grotesca, o Estado traumatiza e criminaliza, e isso me marcou muito. Então vim fazer peso pela descriminalização.”
 

Lexa fala de seu recente casamento com MC Guimê: “Meu parceiro” – SPNEWS

Lexa (Foto: Reprodução/Instagram)

Lexa não poderia estar mais feliz, pois está realizada tanto profissionalmente como pessoalmente. A cantora trocou alianças com o funkeiro MC Guimê há pouco mais de um mês e, agora, lança seu novo single, Sapequinha, em parceria com MC Lan, seguido de um clipe bem dançante.

“Eu convidei o Lan para fazer essa parceria comigo. Quando surgiu a ideia desta música pensei que deveria ser alguém que estivesse voltado a fazer singles para as mulheres. Eu já o conhecia, era fã do trabalho dele e foi só unir as duas coisas”, comenta.

Em entrevista exclusiva à SPNEWS, a carioca explica que sua nova música é voltada para quem gosta de dançar e ensina é um batidão que vai de 130 a 160 bpm, ou em palavras menos complicadas, aquele ritmo que vai do mais lento para o rápido.  

“A música dá uma acelerada e as pessoas começam a dançar mais rápido. Minha ideia é levar alegria às mulheres que são mais sapecas e ver os homens acompanhando-as”, comenta. “Tenho certeza que este é um hit que vai pegar meu público gay também. Nunca faço música para um público específico, mas o feedback do LGBT sempre é muito grande”, salienta.

Ainda para este ano, com previsão de novembro, Lexa já anuncia que vai fazer uma parceria com a drag queen Gloria Groove, mas ainda guarda segredo os detalhes.

Casamento
Lexa subiu ao altar da Catedral Metropolitana da Sé no dia 22 de maio e disse “sim” a MC Guimê diante do pároco e de cerca de 400 convidados. Animada e feliz com sua vida de casada, ela recomenda a qualquer pessoa para passar por essa experiência na vida e salienta a parceria que tem com o marido.

“Está sendo maravilhoso. Casar é muito bom e quando tudo anda bem dentro do casamento, as coisas fluem em volta. O Guimê é um verdadeiro parceiro, amou a música nova. A gente não fala muito sobre trabalho em casa, mas eu quis saber a opinião dele e ele acha que vai dar certo. Me apoia em tudo”, fala com os olhos brilhando.

Claro que a gente quis um ponto negativo e um positivo que ela tenha para falar sobre a vida de casada. Sem pensar duas vezes, ela diz que o lado bom é descobrir que seu marido é um companheiro de verdade e um amigo.

Ele fecha comigo sempre. Já o lado negativo que eu descobri depois de casar foi que ele tem mania de perfeccionismo. O meu lado ruim acho que deve ser que eu sou mais ansiosa enquanto que ele é tranquilo.”

Outro ponto que todo mundo quer saber é quando os pombinhos pretendem aumentar a família, mas a ideia é que seja bem mais pra frente.

“Se fosse por ele, a gente não demorava muito, mas estou pensando nisso para daqui uns seis ou sete anos ainda. Estou com 23 anos e a gente ainda vive um para o outro. Queremos ter filhos sim, mas estamos nos entendendo bem”, conclui.

Casamento de MC Guimê e Lexa (Foto: Ricardo Cintra)
Lexa (Foto: Reprodução/Instagram)

Luiza Possi compartilha foto de biquíni: “Não acredite em tudo do seu feed” – SPNEWS

Luiza Possi (Foto: Reprodução/Instagram)

Em um dia frio na região sudeste, Luiza Possi compartilhou uma foto em seu Instagram, nesta segunda-feira (6), em que aparece de biquíni, mas alertou aos seus seguidores que não acreditem em tudo o que aparece na rede social.

“Dizem que atraímos o que colocamos no mundo, certo? Então eu atraio o sol, o mar, e essa sombra fresca. Não acreditem em tudo que passa no seu feed. Hoje só chove aqui e faz frio, ainda bem que tem um bom lugar pra ler um livro. Fortaleza. Saudade”, escreveu.

Se Brasil cumprisse tratados internacionais, o aborto já seria descriminalizado, esclarece advogada – SPNEWS

Ana Lucia Keuneck  (Foto: Helena Bertho)

Na argumentação apresentada na audiência pública do Supremo Tribunal Federal (STF) para discutir a descriminalização do aborto, a advogada Ana Lúcia Keuneck defende que “a questão do aborto não é de descriminalizar ou legalizar, mas sim de cumprir os tratados internacionais que o Brasil já ratificou”.

Ana Lucia é membro da Rede Feminista de Juristas e, além de incluir sua argumentação na ação da ADPF 442, que levou à audiência, teve sua defesa apresentada pelo Coletivo Criola durante o evento no dia 3. Ela explicou à SPNEWS que o Brasil é signatário de três tratados internacionais que abordam a questão. “E eles deixam bem claro que é direito da mulher a plena autonomia de escolha sobre seus processos sexuais e reprodutivos”, explica.

Dessa forma, o direito de decidir quando e como ter filhos, podendo ou não interromper uma gestação indesejada, já seria algo permitido no Brasil. Os tratados são a Convenção de Belém do Pará, de 96, a Declaração de Pequim, de 95, e a Convenção Sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher (CEDAW), promulgada em 1984 no Brasil.

A partir do momento que são ratificados pelo Congresso Nacional e promulgados pelo Governo, esses tratados passam então a ter valor de emenda constitucional, segundo a advogada. “Nós temos uma hierarquia: primeiro a Constituição, abaixo dela os tratados internacionais e depois os códigos, decretos e leis ordinárias”, ela diz. 

Por isso, os tratados seriam superiores ao Código Penal, cujos artigos que criminalizam o aborto (124 e 126) estão sendo questionados pela ação no STF. Ana Lúcia ainda reforça que a criminalização do aborto viola esses tratados pois poderia ser considerada uma forma de tortura. “O que a mulher sofre em consequência de uma gravidez compulsória pode ser equiparado a tortura. O próprio Conselho Federal de Psicologia falou isso.”

Adore Delano fala sobre drogas entre drags e lamenta overdose de Demi Lovato – SPNEWS

Adore Delano (Foto: Reprodução/Instagram)

Adore Delano passou pelo Brasil como um verdadeiro furacão para divulgar sua nova turnê, “Whatever”, em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre e falou com a SPNEWS sobre as inspirações que de sua carreira como cantora e do álbum que leva o mesmo nome. A drag queen diz que seu principal ídolo é Freddy Mercury, o lendário vocalista do Queen.

“Neste álbum eu trago muita inspiração que veio dele. Muitas coisas sobre o que fazer ou não, eu o tenho como inspiração. Cresci em uma casa de garotos e uma irmã lésbica, então, isso me inspirou a ser uma drag queen com estilo masculino ou um garoto feminino, algo nesse meio termo. Foi o que foi proporcionado quando criança”, explica.

No álbum, Adore inclui o single “27 Club”, um hit punk que fala sobre drogas e o famoso grupo clube dos artistas que morreram aos 27 anos vítimas do abuso às drogas. Ela, que ficou entre as finalistas da sexta temporada de RuPaul’s Drag Race, conta que decidiu trabalhar esta música depois de ver suas colegas de reality envolvidas com entorpecentes.

“Reparei um certo padrão em relação a todas as drags do programa e percebi que muitas de nós estavam usando algum tipo de droga, mas ninguém falava sobre o assunto. Isso me deixou devastada. Eu nunca curti nenhum tipo de droga, mas está sempre presente próximo a nós. Drogas como cocaína, bebida alcoólica, maconha… Eu adoro uns drinks e maconha, mas cocaína e êxtase, todas essas drogas fortes estavam sempre presentes ao nosso redor”, lembra ela.

A cantora acredita que falar sobre este assunto com os jovens seja importante porque eles estão sempre assistindo e frequentando suas apresentações. Ela ainda salienta que pretende divulgar a ideia de que fazer uso abusivo de drogas não é legal.

“Eu já passei por isso e quase morri. Eles não devem mexer com essas coisas. Essa é a mensagem que eu quero passar para todos os jovens. Drogas realmente não são legais. Não usem. Viva sua juventude. A droga rouba sua inocência, então eu sinto que antes você tem que amadurecer, crescer e depois você decide se quer experimentar ou não. Se essa não for a sua personalidade, deixa pra lá. Olhe para mim: eu tenho uma personalidade aberta, sou uma pessoa feliz por natureza e, com certeza, não é por esse caminho das drogas que quero ir.”

Fã incondicional de Demi Lovato, Adore se emociona ao lembrar a situação que seu ídolo está passando. Ela conta que ficou muito triste ao saber que a jovem foi internada com overdose de heroína.

“Todos esses casos me deixam triste porque meu pai morreu por causa do abuso de drogas, então eu a desejo tudo de bom. Ela é importante para mim. Eu a acompanho muito e a desejo o melhor.”

Danny Noriega e Adore Delano (Foto: Reprodução/Instagram)

Adore e Danny
Debaixo da maquiagem pesada de Adore Delano vive um rapaz tímido chamado Danny Noriega. O jovem é bem diferente de seu alterego drag queen em todos os sentidos.

“Quando saio como Danny e recebo um elogio, tipo quando um amigo me diz que me acham gostoso, eu saio correndo. Quando estou de Adore, eu sou mais descolada. Não consigo ser assim como Danny. Isso não funciona. É como preto e branco. Não é uma das melhores referências, mas é basicamente isso. Um lado é tímido e o outro não”, explica.

Um ponto em comum entre os dois é que a drag queen não se vê como um homem, nem mesmo como uma mulher: se autodenomina do gênero não-binário. Ela lembra que, aos 14 anos, ia às lojas de brinquedos e ficava dividida entre as seções rosa e a azul ou seja, a parte das garotas e dos garotos, mas pensava: “Cara, onde está a seção amarela?”.

“Eu lembro que gostava de Hot Wheels e Barbies e estava tudo certo. Sabia desde pequeno que tinha algo ali que não entendia. Quando me mudei para Seattle, me ensinaram que tinham pessoas que ainda estavam descobrindo sobre suas vidas. Quando apresentaram esse mundo para mim, eu sabia quem eu era e também soube que existiam mais pessoas como eu. Prefiro ser identificada como não-binária e qualquer coisa que achar que sou, você pode me identificar dessa maneira. Eu não me ofendo”, pontua.

Adore Delano (Foto: Reprodução/Instagram)
Adore Delano (Foto: Reprodução/Instagram)
Adore Delano (Foto: Reprodução/Instagram)